sexta-feira, 15 de março de 2013

AS ROUPAS DO REI

                “para Ni Brisant vestir”                  

É, guerreiro,
é mesmo tipo assim
como nascer pra fora de si
trocar de pele
mudar as paredes de casa

essa coisa de existir
ser artista, essa coisa

é sempre tipo assim
sem regresso
liberdade sem sobrenome
chama convicta que se abrasa
tipo uma galinha,
manja?

ela nunca reclama da inutilidade
de suas asas







DELARTE - OBRAS PUBLICADAS:

SENTIMENTO DO FIM DO MUNDO (poesia)

SENTIMENTO DO FIM DO MUNDO (poesia)
Clique nas imagens e adquira os livros pelo catálogo da Editora Patuá. Também podem ser encontrados nas Livrarias Cultura e Suburbano Convicto (SP).

CRAVOS DA NOITE (contos)

O Alien da Linha Azul (poesia)

O Alien da Linha Azul (poesia)
Aquisições com o autor ou no Bar & Livraria Patuscada